Preciso muito me conhecer melhor!

Tempo de leitura: 6 minutos

De repente você se olha no espelho e o que vê é alguém que não conhece…

Não se assuste!

Se sentir confuso, sem respostas, é muito mais comum do que você imagina, do contrário não estaríamos cercados por tantas situações de conflitos, limitantes e ultrajantes na convivência social e profissional.

O processo para autoconhecimento não acontece da noite para o dia, tão pouco é fácil ou se conquista sozinho.

Mas, se somos capazes de admitir que existe a necessidade de se conhecer, realmente estamos aptos a abrir nossa mente, sentimentos e emoções, para então aproveitarmos todos os benefícios que a proposta do autodesenvolvimento nos traz.

Preciso muito me conhecer melhor…este é o nosso tema de hoje. Nesta jornada, a primeira condição é entender porque essa necessidade deve fazer parte da realidade da vida profissional, pessoal e social de qualquer pessoa.

Porque precisamos nos conhecer?

A importância do autoconhecimento tem influência direta no tipo de atitude que tomamos diante das circunstâncias, que nem sempre são perfeitas ou como desejamos.

Um bom exemplo da necessidade de encontrar dentro de si razões e motivos para se conhecer e então modificar o “agir”, é quando, principalmente:

.. Se perde o domínio sobre a vida, não conseguindo definir caminhos ou estabelecer propósitos, incorporando hábitos nocivos ou mesmo agindo com negligência diante de aflições do cotidiano

Uma pessoa que não se conhece, não consegue domar seus impulsos, e isso atrapalha toda a sua trajetória em relação aos relacionamentos e ao trabalho.

A falta do autoconhecer já afastou muitas pessoas de grandes ideais, grandes projetos e de carreiras promissoras porque em determinado período, elas foram expostas à grandes provas, e pela falta de discernimento acabaram não sabendo reagir em concordância com a situação; em alguns casos perderam muito, até mesmo a própria vida.

Sim, é necessário se conhecer melhor para “vencer neste mundo” e trilhar um caminho saudável, com menos conflitos internos, menos angústias e menos feridas que insistem em não cicatrizar.

Além disso, quem se conhece melhor, mantém a autoestima sempre em alta, é perseverante e sabe se manter motivado, mesmo diante de “vendavais, descargas elétricas e tsunamis” que surgem durante a vida.

Aprender a dividir e compartilhar, sem reservas e preconceitos, e isso no mundo atual, seja no trabalho, na carreira ou nas relações afetivas, é “ser notado e respeitado”.

Mas como podemos nos conhecer melhor?

Será que diante do espelho, olhando para nossa imagem podemos realmente encontrar fatos reveladores sobre nós mesmos?

De fato, isso é complicado! Pois, na verdade, o autoconhecimento começa quando aprendemos a conhecer o outro, quando enxergamos as características de cada pessoa que nos cerca, e a partir de então podemos reconhecer que temos nossas particularidades. Ou seja:

  • Sabemos que somos teimosos quando nos confrontamos com alguém que resiste em aceitar nosso ponto de vista, assim como resistimos a aceitar o seu ponto de vista;
  • Sabemos que somos solidários quando “arregaçamos as mangas” para ajudar o próximo sem desejar nada em troca;

Enfim, podemos reconhecer todos os nossos defeitos e todas as nossas qualidades a partir das trocas e comparações com o outro.

…E, nesse contexto, reconhecer nossa qualidade é um gesto nobre e de auto amor, mas reconhecer os defeitos é um ato quase que heroico…

O óbvio seria aceitar que precisamos nos conhecer melhor quando se toma consciência de que existem sentimentos, digamos frustrantes, de insuficiência, mas isso nem sempre é fácil.

Posso me conhecer melhor sozinho?

É normal (para quem deseja se conhecer) recorrer aos livros de autoajuda, pensar em terapias, ou mesmo considerar todo misticismo que envolve a personalidade humana. De fato, tudo é válido e existem casos extraordinários de pessoas que promoveram grandes mudanças em sua vida, através de insights ou de iniciativas próprias.

Contudo, cada dia, cada relação é um fato novo, e nem sempre conseguimos nos manter equilibrados ou fazendo tudo certo quando há confrontos, ou muito trabalho, ou excesso de cobrança, não é mesmo?

Pois isso é o cotidiano. Ele é “instável”, desafiador e intrigante, e é em momentos assim que somos postos a prova sobre o tanto quanto nos conhecemos.

Não posso me omitir de perguntar a você:

  • Como você age diante de tantos desafios?
  • Quais os comportamentos que apresenta no seu ambiente de trabalho?
  • Como conduz sua relação com a família e amigos?

Sei que perguntas assim mexem com sentimentos e emoções, mas são necessárias para que você se conheça melhor.

Se conhecendo para se modificar

Você bem sabe que passamos grande parte de nossa vida agindo sem consciência sobre os atos e atitudes, vivemos e reagimos meio que automáticos, teleguiados. Logo, a sua primeira iniciativa para de fato começar a se conhecer, é a auto-observação.

Vou sugerir a você, que a partir de agora, deste exato momento:

  • Em detalhes, preste atenção em cada reação, palavra, pensamento que lhe ocorre diariamente;
  • Observe como se relaciona com as pessoas que trabalham como você, se ocupa o cargo de líder, reforce ainda mais sua atenção;
  • Como você encara suas tarefas e responsabilidades diárias;

Mas, principalmente observe como se sente ao longo de cada dia!

Pois, se sentir tristeza, inquietude, aflição, desorientação, ou qualquer outro sentimento que gere conflitos internos, é realmente o momento de buscar ajuda para se conhecer melhor.

Quem precisa se conhecer melhor, não foge do que vê!

Você acha que pode ser dolorido se conhecer melhor?

Não tenha receio de responder, porque de fato, a grande maioria das pessoas, quando olham verdadeiramente para dentro de si, encontram um abismo, com sentimentos desgastantes, lembranças cruéis, situações mal resolvidas, e muitos defeitos, mas isso não quer dizer que a pessoa é má, mas sim, que ela é humana.

Imperfeita por natureza.

Porém, se não deseja mais se omitir, ou acovardar-se, não vai mais fugir, mas sim encarar de frente cada pedacinho de si que precisa de ajuste, de melhorias ou de conserto.

Quem realmente deseja se conhecer melhor, se dispõe a mudar

O autoconhecimento é um processo sem fim! Se perpetua com amadurecimento, e nos faz mais sábios e prudentes.

Quem aceita que precisa de mudar, passa a sentir menos aflição e a partir de então consegue estabelecer bons propósitos para a sua vida.

E quem ganha com tudo isso?

Você (naturalmente) e todo mundo que lhe rodeia, pois, os reflexos positivos de quem se conhece melhor, se dissipa por todas as relações.

Ou seja, as pessoas que trabalham com você, as pessoas que convive em casa, com as pessoas menos conhecidas, mas que fazem parte da sua rotina: todas serão beneficiárias dos resultados de sua jornada.

O aprimoramento das relações é visível, ao ponto de toda a sua saúde física, emocional e espiritual se tornar mais fortalecida.

Se você precisa muito se conhecer melhor, não se sinta só, descubra o que o coaching e o desenvolvimento humano pode fazer por você!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *